20 de junho de 2013

O meu sangue ferve por você

Acordei com o sangue quente e tremendo. Era dia de exame de sangue. E o sangue fervia só com a ideia de ser retirado assim de uma hora para a outra.


Enquanto o sangue bom dos brasileiros ferve de alegria por aí, meu sangue tem medo de sair.
Pavor. E eu, na soberba do meu tamanho e inteligência, faço de tudo para negociar com ele. Os medos da vida, o medo do exame de sangue. Infundado, mas real.

Para frente é que se anda. Para frente, Brasil. Que venha o exame de sangue. Enfrento o medo meio que  de lado e o enfrento sabendo dos motivos que me levam a fazer tal exame. O Brasil enfrenta governantes sem escrúpulos, entendendo que há perigos. Contudo, o futuro democrático, um país melhor é nossa meta.

Estou tão cheia de sangue que corre e me percorre por inteira que me esqueço até do medo. E do exame.

Queria falar do sangue, de todos os sangues, de todos os dias. Do nosso sangue que jorra, inundando o corpo, a vida. Sangue pulsa na sua extensão. Precisamos dar o sangue para viver.

Meu sangue ferve pelos meus ideais, pelos meus sonhos, por meus amigos, minha família. Pelo meu povo, pelo meu Brasil. Morei nove anos na Holanda e fui obrigada a ouvir de pessoas mal informadas que Brasil era país sem futuro, país pobre, país subdesenvolvido. Fui obrigada a ouvir muita coisa - por educação e para evitar conflitos - que nunca gostaria de ter ouvido. É horrível viver ouvindo críticas sobre o país onde nasceu.

Era meu Brasil, meu país, minha gente, meu sangue. Meu sonho era de reconquistar o Brasil e vê-lo em todos os sentidos no topo do mundo. Hoje, já apresentamos grandes avanços na área econômica, o mundo fixa os olhos no Brasil. E nossa saúde, educação, nossos políticos, nossos valores? Onde estão?

Como diria bem dito Vera, uma querida amiga, os nossos valores começam em casa. Se não queremos corrupção, não podemos corromper, pagar propina, comprar coisas falsificadas. Precisamos sustentar valores que nós temos e praticamos no nosso dia a dia.

Onde estão nossos valores?

Se queremos paz, criamos paz a nossa volta. Se queremos respeito, respeitamos os outros, suas opiniões, seus limites. Se queremos amor, vamos semear esse amor. Se exigimos honestidade e transparência, sejamos tão e qual honestos e transparentes.

Não sei, talvez eu seja a última romântica. Quero dar meu sangue pelo bem, pela alegria em cada brasileiro, pelo renascer do brilho verde, amarelo, azul e branco.

Sonho com um amor à vera como também sonho com um país lindo, melhor para todos. E que cada um de nós possa acreditar em seus sonhos, os mais incríveis, como sonhamos juntos hoje pela democracia.

País de branco, pessoas de paz. Para tornar realidade, precisamos imaginar em pensamento  tudo que desejamos. Se nosso desejo é concreto em sonhos, certamente ele acontecerá.

Chega a enfermeira. Eu apresento o meu braço, hora do exame. O sangue real.
Não posso me alongar. É agora ou nunca.

É o meu sangue.
E ele, escondidinho, ferve por um novo amor, por um novo Brasil.


Alô, você aí: o meu sangue ferve por você......

Beijos.

MAIS RECENTES

ASSINE POR EMAIL

Copyright © 50 COISAS ANTES DOS 50 - VERA LORENZO

Todos os Direitos Reservados