14 de junho de 2013

Luzes da Ribalta

Antes de falar das luzes, falo de outras luzes. Os encontros essenciais de ontem. Primeiro, o aniversário da Rosane, a reunião de amizades eternas que o tempo só fez polir e alinhar. Um novo olhar sobre o nosso umbigo que lá estão todas as respostas de sabedoria. Indico uma dose diária de revisão de umbigo para repensar a vida. Fixe sua mente no umbigo e veja quantas respostas. 

Depois, a ribalta de Zé Mauro. O show do amigo que transformou seu sonho em sonho atemporal e subiu,  febre e fogo, ansiedade e fadiga, no seu palco. Debaixo das luzes quentes dos amigos, dos filhos e acompanhado de músicos vigorosos e comprometidos ao seu lado. O sonho de uma vida que só recomeça, Zé Mauro e sua trajetória de música após os 50.


Palcos de Rosane e Zé Mauro. Palco de Thalita, da Casa de Colorir, que ontem pintou ao meu lado novas cores. Cores recicladas, cores eu que fiz, cores 10 mandamentos, cores antes e depois. Eu senti todas as cores de Thalita como se fossem minhas cores. 

O palco de todos eles. O meu palco.

A luz mais incandescente. Os aplausos mais vorazes e atiçados. Aplausos interrompíveis, continuados. Eu no palco da vida.



Passei uma vida sonhando em ser atriz, escritora - recebi uma carta de Drummond aos 14 anos - linda e profunda onde ele me dizia claramente para perseverar nas letras e nos timbres de voz das palavras. Na época, não li a carta direito. A releitura durante todos os meus anos me trouxe aqui onde estou. Cheia, recheada, pronta finalmente para escrever na plenitude das minhas alegrias, certa da impressão das letras e da minha voz no mundo.

Em 2000, lancei - edição feita por mim - meu livro de poesias: Ver-te Vera. Note o que eu percebo só agora. Lá estavam eu, o livro, as flores. Percebam o orgulho e reparem numa leve insegurança no semblante. Um sorriso meia boca, sorriso tenho medo de ter sucesso, sorriso eu não mereço tudo isso. Eu não tinha naquele momento consciência da minha força, da minha energia solar.


Uma vida inteira fora de foco e uma vida inteira querendo brilhar. Cada um tem seu brilho sonhado. Meu brilho esteve guardado a sete chaves, vivo e querendo aparecer sob as luzes da ribalta.

Quieta e sem muita movimentação, eu esperava os aplausos intensos, grandes na sua imensidão de mãos e afagos no meu coração. Com um só detalhe: ninguém sabia das minhas mais profundas aspirações. Se ninguém o sabia nem mesmo eu, como fazer acontecer? 


A consciência. Tomar consciência e ciência clara e abertamente dos meus mais selvagens sonhos. Escrever no céu, imprimir na alma, divulgar aos quatro ventos.

Se entendermos que a divulgação e a falação dos sonhos é meio caminho andado de onde queremos chegar, nos aproximamos do sucesso seja ele lá o que for e qual for.


Já alcancei o meio do caminho, já ultrapassei o meio, porque estou aqui neste bate-papo saboroso com você. Porque você lê e sabe do meu desejo das luzes da ribalta. Porque dividi com você o meu segredo mais profundo.

Não são só luzes para mim que eu quero.

Quero as luzes mais incandescentes para mim e para você. Quero que você nine os bebês da sua mais interna alegria. Quero que você crie os bebês e os liberte no mundo, seus sonhos. Quero muito e quero de um tanto que você nem imagina. Publicar as minhas e suas vitórias mais queridas.

Quero fazer a diferença em muitas vidas. Para fazer diferença em muitas vidas, faço hoje a diferença na minha vida. Só para começar. Engenhosa armadilha.

E aviso: vou retomar o microfone como fiz em 2000 na noite de autógrafos e possui-lo e integrá-lo na minha vida comum.


Se você puder ajudar, bata um fio. Escreva ou telefone. Para dizer em maior escala e contribuir para o seu sonho e sonhos de tanta gente pelos continentes afora, preciso que o mundo saiba.

O mundo vai saber pelas bocas, pelas redes sociais, pelos jornais, pelas revistas, pela televisão, pelas fotos, por tantos outros meios. Esses meios precisam contribuir para o meu fim.

Quero a ribalta do bem e a corrente da alegria e das cores. Ribaltas minhas, nossas.
Para isso, peço sem medo a sua ajuda com contatos, indicações. São 50 sonhos e coisas antes dos 50.

Cinquenta que se multiplicaram em milhões de coisas e pessoas a serem alcançados.

Beijos iluminados.

Pequena mensagem:
Agradeço a todos vocês que me incentivam diariamente. É o combustível mais potente da escrita e da minha evolução como pessoa. Vocês me fazem melhor. Agradeço os candidatos a namorados, vou escrever um a um no fim de semana - a semana foi meio apertada de trabalho. Agradeço a todos que surgem por acaso - nada de acaso - no meu caminho.
Hoje sou enormemente feliz e você tem responsabilidade nisso. Meu desejo é retribuir.

Bom fim de semana, bom minuto de cada dia seu. Até breve. Simples assim, como cantou Zé Mauro.

MAIS RECENTES

ASSINE POR EMAIL

Copyright © 50 COISAS ANTES DOS 50 - VERA LORENZO

Todos os Direitos Reservados