4 de junho de 2013

Aonde achar inspiração

No dia a dia corrido das grandes cidades, com acúmulo de trabalho e distâncias cada vez mais longas a serem percorridas pelo trânsito insano que se instalou, a inspiração parece desaparecer pelas frestas da janela ou se esconder que nem poeira debaixo do tapete.

Suspiro inúmeras vezes. Inspiro e expiro como aprendi com meus mentores. Vejo uma lista inexplicavelmente gigante de coisas a fazer. Ao redor, sei que há pessoas angustiadas, aflitas. Mundos em fusão, difusão e de muita confusão. É preocupante. E a tal danada da inspiração que não vem. Deve andar invisível aos meus desatentos reflexos.


Pode parece até piegas, até bobo, me lembro do Pequeno Príncipe. "Você é responsável por tudo que cativas": era  o que eu lia no livro quando pequena e entendia que era meu dever espalhar o bem, mesmo em dias de chuva. Cresci assim.

Nas terras dos novos combinados - falamos de gente, empresas, realidade - precisamos encontrar um novo eixo, porque os eixos nos foram tirados e, num piscar de olhos, nos colocarmos de pé e diante, olhares atentos, brilhantes e firme.

Evidentemente que, no papel, tudo é belo e fácil. Nesse turbilhão de acontecimentos, a invisibilidade momentânea da inspiração me chateia. E chateia muita gente que não vê a proa, gente que estagnou de medo, congelou. Gente que quero tanto derreter. Como no Pequeno Príncipe.
Não que eu queira me tornar uma Pequena Princesa (amigos dizem que é mentira, meu sonho era me tornar uma princesinha pelo menos por um dia, não é que é verdade?), vontade mesmo é de abraçar todo mundo e dizer que tudo vai ficar bem. Inspirar um a um.


Se lembro duns, lembro de mim. Lembro que lá do fundo há de surgir uma fagulha. Porque a minha inspiração passou a ser compartilhada. Eu tenho que aprender, oras bolas, a me inspirar e pronto. E encher de fogo e vibração meu universo e dos meus pares.

Então pego no telefone e disco o número. Atende Teresinha. Aviso para ela da falta de inspiração. Teresinha ri e brinca: como você pode motivar as pessoas se não está motivada? Desculpe, mas isso não existe, me sacode a Tere. Ufa, tomei bronca. Isso me constrange (como diria o Pedro, meu amigo pequeno que é um grande amigo). Que maravilha, reviso minha percepção, era o que precisava. Bronca é bom para cachorro. Serviu.

Ainda sem desligar, esperei o finalzinho da ligação para pedir que ela me ligasse com palavras bonitas ou mandasse mensagens mais tarde para me despertar dessa sensação esquisita. Ela gargalhou dessa vez. Com jeitinho me explicou que o faria. Para o bem de todos e felicidade geral da nação.

Nascia a inspiração da noite. Obrigada, Teresinha, thank you very much!

Levanta dessa lona é uma boa expressão, boas palavras. Quando alguém te inspira, você inevitavelmente vai inspirar alguém mais à frente. Uma inspiração que rola, vira os ânimos e modifica.

Ah, a inspiração quando vem quase que me joga da cadeira de tão potente. Fico coberta da manta fofa e quentinha da inspiração e quero aquecer outros corações.

As noites de outono são mais frias, fresquinhas demais.
E vamos nós, vamos abraçar quem está do nosso lado, agora nesse instante? E nos instantes que virão a seguir e amanhã. Vou publicar as fotos de abraços amanhã. Você me ajuda?


Inspiração e ideias. Por favor fotografe seus abraços. Envie um email para vera@foreignaffairs.com.br. Você fará parte do meu blog, seu abraço fará parte do meu abraço.

Vamos abraçar todos juntos e inspirar mais abraços, mais luz, mais calor humano.
Criar inspiração.

Motivar mais gente a sair do congelamento. Da inércia. A buscar soluções que elas estão soltas por aí.

Pela estrada afora, caminharemos inspirantes e inspirados juntos.
Abraçados.

Beijos ternos.

MAIS RECENTES

ASSINE POR EMAIL

Copyright © 50 COISAS ANTES DOS 50 - VERA LORENZO

Todos os Direitos Reservados