18 de abril de 2013

Fogo da paixão

Acredito que seja normal meu questionamento sobre o que é paixão.
Qual é o termômetro que mede o fogo da paixão? E de que paixão falamos?


Todos nós temos varias paixões explícitas: por exemplo, eu sou apaixonada pelo Fluminense (vez por outra temos algum desentendimento), por praia, por gente, por mar. E por tantas outras coisas boas.
O que realmente nos move em direção a uma paixão? A sensação de prazer e delicia que o objeto apaixonante nos proporciona.



Paixão nos arrebata as estruturas, nos dá a razão de viver, acelera o coração.
E como podemos descobrir em nós mesmos o fogo da paixão? Não falo ainda de paixão inexplicável de um ser humano por outro não importando o sexo, a raça, o gênero.

Falo de auto-paixão. Das redescobertas do que dispara o seu coração. Momentos como uma boa corrida na praia, um demorado e festivo encontro de velhos a amigos. O que te apaixona?


Descreva para mim o que faz seu sangue correr feliz pelas veias e artérias acordando todo seu corpo.
O que te faz pular de alegria, se emocionar, se divertir à vera. O que te excita?

O que desencadeia o fogo da paixão dentro de você? O que te arde, te acende? Procure insistentemente essa chama.  De passar a língua pela boca e dizer: me descobri apaixonada. Por mim!

Não há coisa melhor do que a paixão interna e intensa. Não  há nada como o fogo empurrando seu corpo para o movimento.

O que deve realmente importar é o nosso movimento de paixão. O que mais se vê são as paixões externas, pelo outro, pela existência de um outro ser humano. São paixões que, na ordem de chegada e partida, deveria ser a segunda.


Paixões maravilhosas podem surgir da segunda paixão se embaladas pela primeira paixão.
Todos vocês e eu já vivemos certamente a segunda, mas será que já vivemos a primeira e fundamental paixão? Cabe a você me dizer. Eu estou perdidamente apaixonada por mim. E por tudo que faço, sonho e empreendo. Eu me amo!



Hoje sei o significado mais pleno da paixão e vivo nesse estado.
Certamente paixões externas virão, mas que venham inteiras, também
apaixonadas. Ninguém quer meias paixões para si mesmo e nem receber meias paixões dos outros.

Quero uma paixão por inteiro como a minha já o é.
E que o fogo possa arder através da vida.

Beijos apaixonados.

MAIS RECENTES

ASSINE POR EMAIL

Copyright © 50 COISAS ANTES DOS 50 - VERA LORENZO

Todos os Direitos Reservados