28 de abril de 2013

Amigos de fé, irmãos camaradas

Amigos. Palavra quente e envolvente. Palavra viva, acesa, transcendente e ascendente.
Meus amigos são tudo, representam muito mais do que cada um possa supor.


Meus amigos se dividiram em alguns países. Muitos moram no Brasil em vários cantos do país, nas metrópoles e nas cidades nem tão grandes. Outros moram na minha segunda pátria, a Holanda e outros amigos estão ao redor do mundo, como nos Estados Unidos, Espanha. Amigos multiculturais que me ensinam sempre que é importante respeitar as diferenças, respeitar o jeito diferente de ser.

Amigos...repito a palavra e vejo todos os meus amigos passarem diante dos meus olhos. Alguns Deus até levou de mim, mas guardo cá na memória afetiva do meu hard disk.

Todos os meus amigos têm luz própria e brilham. E encantam! Por isso nossos corações se entrelaçaram no meu caminho. Vocês que são especiais em suas singularidades, em algumas pluralidades, especiais simplesmente.

Porque nada precisam fazer, já o são para mim estrelas radiantes. E me guiam, me mostram o eixo, o traslado, me apresentam percursos e cursos que meu rio deve tomar.


Talvez meus amigos nem saibam o bem que me fazem por estarem ali, por eu saber que são meus amigos. Se eu nada tivesse e me restassem os amigos, seria muito rica, porque meus amigos me conferem uma riqueza sem igual.

Um a um, todos, são lindos. Lindos de viver! E mesmo sem eu precisar citar nomes, eles se reconhecerão nesse texto.


Amigos identificam os sentimentos mesmo à distância. Sabem que estarei onde precisarem, darei a força e o carinho no momento oportuno ou no momento em que forem importunados.

Eu os defenderei com unhas e dentes e eu os amarei pela eternidade.
Delicioso reconhecer e descobrir um amigo. Presente divino que deve ser acarinhado, cuidado, alimentado.

Às vezes não alimento um amigo e me sinto eu mesma desnutrida. Porque o alimento é recíproco. Aí batem as saudades, vontade de falar, de estar junto. E eu grito mesmo, reclamo. Peço arrego. Ou não. Alguns amigos estão amarrados em suas opções de vida, ou estão num local de difícil acesso que nem sempre é o mais afastado fisicamente. Novamente respeito os momentos, as horas, os meus amigos.


Afinal que amiga eu sou? Nunca consegui ser uma amiga perfeita, me dou conta da imperfeição da amizade que proporciono e da dificuldade de estar presente, de trocar, de juntar, de me mostrar até. Já fugi muito de mim e de meus amigos por conseguinte. Até porque meus amigos me conhecem e sabem quem eu sou e eu já corri de mim mesma.

Hoje corro de encontro ao que eu quero, a quem eu sou profundamente e nisso, meus amigos, vocês foram gigantes, mega amigos.

Meus amigos me empurraram firmes e fortes quando eu já não via a saída nem ousava a ver minha própria força. Eles me entregavam o espelho e mandavam eu me olhar e me lembravam de tudo que eu havia conquistado.

Amigos, com A enorme, maiúsculo sim. AMIGOS.
E que poder vocês têm! Se todos vocês soubessem. Girariam o mundo, recriariam vidas. A potência dos meus amigos somadas é fabulosa.

Aqui bem sussurradinho, revelo um segredo: tenho muito orgulho de ser amiga de vocês. Chego a inflar o peito. Sentir meu coração crescer de tanta felicidade. Sim, felicidade. Cada um de vocês me faz assim: boba e feliz.

Não importa então se o tempo está quente ou frio - como está friozinho aqui na Holanda - vocês esquentam meu dia, minhas horas, minha jornada.

Por isso, hoje eu agradeço somente. Agradeço muito. Imensamente. Que vocês existam e que sejam meus amigos (coisinha nada fácil, não?).

Preciso de vocês e eu gostaria de beijar com carinho e abraçar cada um de vocês nesse momento.
Que meu carinho passe entre as palavras e as letras e chegue intacto ao seus corações.

Bom final de domingo!

Meu amor de amiga.


Beijos e abraços apertados.

MAIS RECENTES

ASSINE POR EMAIL

Copyright © 50 COISAS ANTES DOS 50 - VERA LORENZO

Todos os Direitos Reservados