8 de março de 2013

Um dia de muito trabalho

Olha, vou dizer uma coisa bem baixinho, que ninguém nos ouça....

Trabalhar é bom - não, você não leu errado - é muito bom quando a gente gosta das pessoas à nossa volta, dos parceiros, dos colegas, de fornecedores. Pode ser até divertido , instiga o nosso lado criativo, nos dá a a oportunidade de ajudar o outro, participar, crescer.

Hoje faço uma homenagem a quem trabalha (e muito!) nesse meu universo fantástico e singular.


Na verdade, um de meus desafios é estar disponível para a vida pessoal, digamos, aos 55 anos. Por outro lado, me pego pensando: se um dia parar de trabalhar, vou sentir muita falta dos amigos no trabalho, daqueles que me acompanham dia a dia, que vejo em cada reunião, em cada encontro, que tiram o melhor de mim. E só isso já não é maravilhoso? Sou melhor hoje, porque todos eles juntos, colegas, parceiros, clientes, gente, gente de todos os jeitos me fizeram assim.


Trabalho é gás para a alma. Claro que o trabalho desgasta, o trânsito então nem se fala (fiquei hoje quase 5 horas no trânsito na ida e volta para o Centro). Lá no fundinho, fico satisfeita de reencontrar as pessoas, ter a possibilidade de trocar ideias sobre o universo do trabalho, universo pessoal, interferir para melhorar o dia a dia de uma empresa.

E o melhor é sempre quando você escolhe o trabalho e o trabalho te escolhe. Casamento feliz.


Por isso, agradeço a Raquéis, Cristines e Cristinas, Betinas, Anas, Malbas, Marias, Tarcísios, Francescas, Joãos, Lucianas, Andréas, Isabellas, Patrícias, Alines, Solanges, Márcias, Camilas, Eduardos, Leandros, Danielas, Simones e tantos outros pelo caminho. Todos são meus mestres, com eles aprendo um pouquinho mais, aprendo a lei da relatividade da interatividade, do feedback incondicional.

E aprendo muito também com meu time que ri, gargalha, dança, brinca, trabalha muito, demais para que possamos ser uma família todos os dias.


Quando escrevi as 50 coisas para se fazer até os 50 anos, incluí uma viagem com meu time de trabalho.
Para divertir quem me diverte, quem me emociona, quem dá o sangue.

E, quando penso nas parcerias de corrida, stand up paddle, tênis, cozinhar, fotografar e em tantas outras coisas, penso em todos da minha equipe e todos aqueles que topam embarcar nas minhas parcerias.
Alegrias simples e profundas.


Talvez um ou outro vai se rir de mim e desacreditar nas minhas palavras.
No entanto, os que me conhecem, sabem o quanto sou apaixonada pelo que faço: amo o fato de poder transmitir conhecimento, culturas, idiomas e mundos.

Penso na liberdade de se criar em trabalho. No trabalho árduo mas sem obrigatoriedades Quando você sente que seu time trabalha, porque ama o que faz, você se revigora também.


Desculpe a pieguice de hoje. Trabalhei muito e confesso a felicidade de ter trabalhado dessa maneira. Perdi até o sono. São muitas emoções.. Hoje eu mais me assemelhava à figura abaixo, trabalhando que nem enlouquecida para dar conta de tudo.


Alguém deve ter percebido, deveria ter disfarçado?
Não, não disfarço, assumo quem sou e sou assumidamente comprometida e trabalhadora, esse é meu estilo. Trabalhar em 220v, vestir a camisa de quem estiver ao meu lado, batalhar até chegar aos resultados.

Sem tirar o sorriso do rosto, a alegria e o carinho.
Não sei ser diferente. Gosto de fazer o melhor. Adoro meu trabalho, confissão feita.


Obrigada, parceiros!
Vocês me dão a oportunidade de me sentir realizada e querida.
Vou dormir feliz.

MAIS RECENTES

ASSINE POR EMAIL

Copyright © 50 COISAS ANTES DOS 50 - VERA LORENZO

Todos os Direitos Reservados